Conheça a Importância da Psicoterapia em Grupo no Processo Terapêutico

Conheça a Importância da Psicoterapia em Grupo no Processo Terapêutico

Importância da psicoterapia grupal no processo terapêutica

A dependência química é uma doença contemporânea que acarreta prejuízo a vidas e famílias. O tratamento da dependência química da mesma necessita de diversas ferramentas com o intuito de auxiliar o paciente terapeuticamente a alcançar medidas de desenvolvimento, prevenção e manutenção. Dentro dessas, as terapias grupais aparecessem como opção eficaz e dinâmica, trazendo ao paciente diversas possibilidades e benefícios. As experiências compartilhadas e refletidas pelos mesmos permitem a oportunidade de esclarecer medos, mitos, crenças e expor angústias e dificuldades a pessoas que vivenciam o mesmo problema, auxiliando no desenvolvimento e enfrentamento do seu tratamento.

Um fator positivo das atividades de grupo para dependentes é proporcionar que os pacientes dividam situações e conflitos vividos com pessoas que possuem história semelhante, em um ambiente acolher e não julgador. Tais ações trazem como consequência positiva a possibilidade do indivíduo verbalizar e trabalhar questões de modo mais sincero e honesto, tanto consigo mesmo quanto no relacionamento com terceiros, sendo esta franqueza uma etapa necessária e importante no tratamento da dependência química.

Outro fator importante na progressão de seu tratamento é a oportunidade que os pacientes encontram de trabalhar os métodos usados para conviver com possíveis tentações, angústias e dificuldades para retomar sua rotina sem a necessidade de utilizar drogas novamente. Ao interagir com pessoas que também possuem problemas graves, podem perceber que não estão sozinho em suas dificuldades, percebendo que suas adversidades por muitas vezes dependem de seu empenho para serem minimizadas e/ou sanadas.

Ou seja, os conflitos oriundos do isolamento, desespero e angústia são passiveis de evolução terapêutica quando o paciente se der conta que o grupo está interligado e as reflexões e construções exercitadas em reunião com a equipe técnica também podem ser feitas de maneira conjunta.

Terapias em grupo também proporcionam a prerrogativa de permitir que o indivíduo receba orientação em tempo real para suas apreensões tanto dos próprios membros participantes quanto do terapeuta. O paciente obtém a liberdade de discutir abertamente questões ligadas a suas vivências e prontamente receber subsídios e repertório para ensaiar o enfrentamento de seus problemas atuais.

Em suma, é notória a importância de grupos psicoterapêuticos no contexto clínico do tratamento da dependência química, visto que o mesmo objetiva que o paciente adquira discernimento sobre sua própria doença, gerando maior autoconhecimento e serenidade para tomar decisões (mantendo-se mais saudável) aliado a troca de experiência entre semelhantes, auxiliando no processo de restabelecimento dos vínculos sociais. Esclarecer questões que permeiam o entendimento amplo da dependência química favorece o crescimento pessoal e embasa sua compreensão e propicia sua capacidade de mudança.

A propensão natural dos seres humanos a se reunir torna a terapia de grupo uma poderosa ferramenta terapêutica para o tratamento do abuso de substâncias, que é tão útil quanto a terapia individual e, às vezes, mais bem-sucedida. Uma razão para essa eficácia é que os grupos têm, intrinsecamente, muitos benefícios recompensadores – como reduzir o isolamento e permitir que os membros testemunhem a recuperação de outros – e essas qualidades atraem os clientes para uma cultura de recuperação. Outra razão pela qual os grupos trabalham tão bem é que eles são adequados especialmente para tratar problemas que normalmente acompanham o abuso de substâncias, como depressão, isolamento e vergonha.

Embora muitos grupos possam ter efeitos terapêuticos, este TIP concentra-se apenas em grupos que têm líderes treinados e que são projetados para promover a recuperação do abuso de substâncias. Grande ênfase é colocada nos grupos de processos interpessoais, que ajudam os clientes a resolver problemas relacionados a outras pessoas, problemas dos quais eles tentaram fugir por meio de substâncias que causam dependência. Embora este TIP não tenha a intenção de ser um manual de treinamento para indivíduos treinando como terapeutas de grupo, ele fornece aos conselheiros de abuso de substâncias informações e informações que podem melhorar sua capacidade de gerenciar os grupos que atualmente lideram.

Vamos para:
visão global
Introdução

Definindo Grupos Terapêuticos no Tratamento de Abuso de Substâncias

Vantagens do tratamento em grupo

Modificando a terapia em grupo para tratar o abuso de substâncias

Abordagem desta DICA

Vamos para:
Introdução
As vidas dos indivíduos são moldadas, para melhor ou pior, por suas experiências em grupos. As pessoas nascem em grupos. Ao longo da vida, eles se juntam aos grupos. Eles influenciarão e serão influenciados por grupos familiares, religiosos, sociais e culturais que constantemente moldam o comportamento, a autoimagem e a saúde física e mental.

Os grupos podem apoiar membros individuais em momentos de dor e problemas e podem ajudar as pessoas a crescer de maneira saudável e criativa. No entanto, os grupos também podem suportar comportamentos desviantes ou influenciar um indivíduo a agir de maneira prejudicial ou destrutiva.

Como nossa necessidade de contato humano é biologicamente determinada, somos, desde o início, criaturas sociais. Essa propensão a se reunir é uma poderosa ferramenta terapêutica. Grupos de terapia formal podem ser uma fonte convincente de persuasão, estabilização e apoio. Grupos organizados em torno de metas terapêuticas podem enriquecer os membros com visão e orientação; e em tempos de crise, grupos podem confortar e guiar pessoas que, de outra forma, poderiam estar infelizes ou perdidas. Nas mãos de um líder de grupo capacitado e bem treinado, as potenciais forças curativas inerentes a um grupo podem ser aproveitadas e direcionadas para promover vínculos saudáveis, fornecer reforço positivo aos colegas, atuar como um fórum para auto-expressão e ensinar novas habilidades sociais. . Em suma, a terapia em grupo pode fornecer uma ampla gama de serviços terapêuticos, comparáveis ​​em eficácia àqueles oferecidos em terapia individual.Scheidlinger 2000 ; Toseland e Siporin 1986 ).

Terapia de grupo e tratamento da dependência são aliados naturais. Um dos motivos é que as pessoas que abusam de substâncias têm maior probabilidade de permanecerem abstinentes e comprometidas com a recuperação quando o tratamento é oferecido em grupos, aparentemente devido a forças recompensadoras e terapêuticas como afiliação, confronto, apoio, gratificação e identificação. Essa capacidade de terapia de grupo para vincular os pacientes ao tratamento é um recurso importante, porque quanto maior a quantidade, a qualidade e a duração do tratamento, melhor o prognóstico do cliente ( Leshner, 1997 ; Project MATCH Research Group, 1997 ).

A eficácia da terapia de grupo no tratamento do abuso de substâncias também pode ser atribuída à natureza da dependência e vários fatores associados a ela, incluindo (mas não limitado a) depressão, ansiedade, isolamento, negação, vergonha, prejuízo cognitivo temporário e caráter patologia (transtorno de personalidade, déficits estruturais ou um senso de self não-coeso). Se uma pessoa abusa ou não de substâncias, esses problemas frequentemente respondem melhor ao tratamento em grupo do que à terapia individual ( Kanas, 1982 ; Kanas e Barr, 1983 ). A terapia de grupo também é eficaz porque as pessoas são criaturas fundamentalmente relacionais.

Vamos para:
Definindo Grupos Terapêuticos no Tratamento de Abuso de Substâncias
Todos os grupos podem ser terapêuticos. Sempre que alguém se torna emocionalmente ligado a outros membros do grupo, a um líder de grupo ou ao grupo como um todo, o relacionamento tem o potencial de influenciar e mudar essa pessoa. Identificar um grupo como “terapia” não implica que outros grupos não sejam terapêuticos. Ao preparar este TIP, o painel de consenso debateu demoradamente o que constitui “terapia de grupo” e o que distingue os grupos de terapia de outros tipos de grupos.

Embora muitos tipos de grupos possam ter elementos e efeitos terapêuticos, os tipos de grupo incluídos neste TIP baseiam-se nas metas e intenções dos grupos, bem como o público-alvo do TIP (especialmente os conselheiros de tratamento de abuso de substâncias e outros tratamentos de abuso de substâncias). profissionais). Assim, este TIP é limitado a grupos que (1) têm líderes treinados e (2) pretendem produzir algum tipo de cura ou recuperação do abuso de substâncias. Este TIP descreve (no capítulo 2) cinco modelos de terapia de grupo atualmente usados ​​no tratamento do abuso de substâncias:

Grupos psicoeducativos, que ensinam sobre abuso de substâncias.
Grupos de desenvolvimento de habilidades, que aprimoram as habilidades necessárias para se libertar dos vícios.
Grupos cognitivo-comportamentais, que reorganizam padrões de pensamento e ação que levam ao vício.
Grupos de apoio, que formam um fórum onde os membros podem desmascarar as desculpas uns dos outros e apoiar mudanças construtivas.
Psicoterapia de grupos de processos interpessoais (doravante denominada “grupos de processos interpessoais” ou “grupos de terapia”), que permitem aos clientes recriar seus passados ​​no aqui e agora do grupo e repensar os problemas relacionais e outros que já fugiram por meio de substâncias aditivas.
Os provedores de tratamento usam rotineiramente os primeiros quatro modelos e várias combinações deles. O último não é tão amplamente utilizado, principalmente por causa do treinamento extensivo necessário para liderar esses grupos e da longa duração dos grupos, o que exige um alto grau de comprometimento de provedores e clientes. Mesmo assim, muitas pessoas entram no tratamento de abuso de substâncias com uma longa história de relacionamentos fracassados, exacerbados pelo uso de substâncias. Nestes casos, um período prolongado de terapia é necessário para resolver os problemas do cliente com os relacionamentos. A realidade de que o tratamento prolongado nem sempre é viável não nega sua conveniência.

Este TIP não discute grupos multi-familiares e de vários casais, que são discutidos no TIP 39, Tratamento de Abuso de Substâncias e Terapia Familiar ( Centro de Tratamento de Abuso de Substâncias, 2004 ). Embora os grupos multi-familiares e multicouple normalmente sejam constituídos por grupos de famílias não relacionados, eles se concentram nas relações familiares à medida que afetam e são afetadas por um membro com um transtorno por uso de substâncias. Este TIP concentra-se em grupos de terapia, que têm um foco distintamente diferente.

Também fora do escopo deste TIP está o uso de grupos de autoajuda liderados por pares, como Alcoólicos Anônimos (AA) ou atividades em grupo, como eventos sociais, serviços religiosos, esportes e jogos. Qualquer um ou todos podem ter um ou mais efeitos terapêuticos, mas não são projetados especificamente para alcançar esse objetivo. A Figura 1-1 mostra outras diferenças entre grupos de autoajuda e grupos de processos interpessoais. Na maioria dos aspectos, a comparação também se aplica aos outros quatro modelos de grupo.

Você ou alguém em sua família está se autodestruindo com vício e já não sabe o que fazer para conseguir vencer o vício? Pois saiba que isso é devido à dependência química criada pelo uso constante da substância psicoativa em questão, mas em nossa clinica de reabilitação podemos ajudá-lo.

Para obter ajuda em momentos difíceis como esse, em que a internação voluntária, internação involuntária ou internação compulsória parece ser a última chance de largar desse vício que destrói a vida do dependente e daqueles ao seu redor, saiba que pode contar conosco como clinica de recuperação para dependentes químicos.

A internação é o meio mais promissor para surtir efeito a desintoxicação, ou a interrupção do uso das substâncias químicas. A reclusão do dependentes da sociedade, família, meio profissional e amigos pode ser de difícil aceitação, mas o mais importante é a saúde e a integridade física do dependente que está numa situação de dependência acentuado.

A internação tem como objetivo primário, resgatar valores, virtudes, vitalidade, disposição física e mental, através de reuniões terapêuticas, atendimentos terapêuticos individuais, atividades físicas e mais uma gama de métodos saudáveis que irão mudar o contexto de vida do paciente.

Caso essa seja a sua realidade ou de algum ente querido seu, entre em contato com nossa clinica de tratamento para dependentes químicos via WhatsApp  ou pelo telefone: (15) 98175-1505

 

Segurança e transparência a mais de 15 anos.
Venha para a Clinica de recuperação, Transforme sua vida!