compreendendo o debate entre dependencia quimica e vicio

Compreendendo o debate entre dependência química e vicio

A diferença entre vício e dependência pode ser difícil de entender. Algumas organizações têm definições diferentes, usam as palavras de forma intercambiável ou até abandonam os dois termos. (“Transtorno por uso de substâncias” é um termo preferido na comunidade científica.) Por causa dessa falta de consistência, algumas regras básicas podem ajudar a diferenciar os dois termos.

Quando as pessoas usam o termo “dependência”, geralmente estão se referindo a uma dependência física de uma substância. A dependência é caracterizada pelos sintomas de tolerância e abstinência. Embora seja possível ter uma dependência física sem ser viciado, o vício geralmente está ao virar da esquina.

O vício é marcado por uma mudança no comportamento causada pelas mudanças bioquímicas no cérebro após o abuso contínuo de substâncias. O uso de substâncias torna-se a principal prioridade do dependente, independentemente do dano que ele possa causar a si mesmo ou a outras pessoas. Um vício faz com que as pessoas ajam irracionalmente quando não têm em seu organismo a substância em que são viciadas.

O vício envolve a dependência física e mental de uma determinada substância.

Dependência Mental vs. Dependência Física

Dependência mental é quando o uso de uma substância é uma resposta condicionada a um evento ou sentimento. Eles são conhecidos como “gatilhos”. Algo tão simples como o ato de dirigir pode despertar o desejo de usar. Esses gatilhos desencadeiam mudanças bioquímicas no cérebro de uma pessoa que influenciam fortemente o comportamento viciante.

Os gatilhos podem ser respostas emocionais a eventos, certas pessoas, lugares ou qualquer coisa que uma pessoa associe ao uso de uma substância.

Os sintomas de gatilhos podem incluir:

Aperto no estômago
Sentir desejo intenso ou necessidade de usar drogas ou álcool
Nervosismo ou ansiedade
Quando os sintomas de dependência física e mental são aparentes, geralmente há um vício. No entanto, a principal característica que distingue o vício da dependência é a combinação da dependência mental e física com o comportamento incontrolável na obtenção e uso de uma substância.

Então, por que algumas organizações descartam a palavra “vício” de seu vocabulário? A OMS acredita que o termo carrega muita conotação negativa e é ambíguo. A Organização Mundial da Saúde também queria substituir a designação médica de “vício” pela palavra “dependência” em 1964 (o que provavelmente contribuiu para a confusão).