tratamento do alcoolismo psicoterapia cognitivo comportamental

Tratamento do alcoolismo com psicoterapia e terapia cognitivo comportamental

Tratamento do alcoolismo com psicoterapia e terapia cognitivo comportamental

Transtornos relacionados ao álcool geralmente causam prejuízos e complicações graves, ocasionando a deterioração da saúde geral do indivíduo, além de causar  efeitos negativos nas áreas :  pessoal, social e profissional. O consumo constante e repetido de doses cada vez maiores de álcool pode afetar quase todo o nosso organismo,  principalmente o sistema gastrointestinal, o  cardiovascular e o nervoso, podendo causar danos cognitivos, de memória, e até mesmo o câncer.

Percebe-se que o alcoólatras  inicia seu vício na adolescência e à medida que o tempo passa as doses começam a ser cada vez maiores para atingir o nível de prazer desejado. Tal processo é conhecido como “tolerância” ao álcool. Assim, muitos indivíduos alcoólatras conseguem manter uma vida “normal”, isto é, integrado na sociedade, pois conseguem estudar, trabalhar, constituir família, filhos, netos, aposentadoria, etc., fazendo com que, cheguem a fase adulta ingerindo altas doses de álcool e ao mesmo tempo, apresentem grandes danos ao seu organismo em geral, física e psicologicamente.

Atualmente têm-se verificado a efetividade da Psicoterapia Cognitivo Comportamental no tratamento da dependência do álcool, principalmente na modificação de comportamentos disfuncionais que ativam o desejo de beber. Estes estão muito enraizados na personalidade do indivíduo, pois foram repetidos por muitos anos e precisam ser ressignificados.

A Psicoterapia e  Terapia Cognitiva Comportamental trabalha com o desenvolvimento de novas habilidades  habilidades para lidar com o problema, como por exemplo, habilidades sociais básicas, comportamentos assertivos e confronto, que incluem a capacidade de identificar situações de risco, lidar com emoções e fazer mudanças cognitivas. 

Portanto, o tratamento do alcoolismo não acontece apenas com a abstinência do álcool, mas também, e principalmente, a mudança de comportamentos e sentimentos que o levam ao uso como: depressão, ansiedade, baixa autoestima, insegurança, entre outros. 

Os objetivos específicos são:

1) desenvolver aprendizagem e  novos comportamentos, que substituirão o comportamento de beber, através do treinamento de novas habilidades, ensinar formas de enfrentamento  para lidar com situações críticas,  e do desenvolvimento da  percepção, no sentido de detectar possíveis   momentos, circunstâncias e emoções  que poderiam levar ao uso.

3) Criar novas estratégias, no sentido de provocar uma mudança no estilo de vida, buscando uma elevação da auto estima e da valorização dos aspectos positivos do indivíduo.

 4)Promover técnicas que permitam  a manutenção e o fortalecimento do processo de mudança nas novas ações criadas, e facilitar o  desenvolvimento da capacidade de relacionar-se inter pessoalmente.

 

Para mais informações, entre em contato conosco via WhatsApp.